Cerca de 2 mil caminhoneiros se mobilizam

55

Cerca de 2 mil caminhoneiros estão em grupos de WhatsApps criados recentemente para discutir uma possível paralisação na próxima segunda (22). Parte da categoria é contra a resolução da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) que estabeleceu uma tabela de preços mínimos do frete rodoviário.

Os valores são abaixo do esperado. De acordo com o jornal Folha de São Paulo, a paralisação não é consenso entre todos os caminhoneiros, participantes dos grupos. Alguns são contra a ideia tendo em vista a dificuldade financeira que teriam após os dias sem trabalhar.

A nova versão da tabela foi feita após um estudo da área de logística da Escola de Agronomia da Universidade de São Paulo (USP) e teve como objetivo adequar os preços para os diferentes tipos de carga, rotas e veículos.

O ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, se reúne com os representante de caminhoneiros e entidades afetadas pela nova tabela de fretes. O encontro deve acontecer na próxima semana.

MaisPB