Como música cantada por jogadores em avião na festa do título faz City ser criticado na Inglaterra

0
47
© Ashley Cahill/Action Plus via Getty Images Wijnaldum e Robertson, do Liverpool, seguram bandeira em apoio a Sean Cox

Nesta quarta-feira (15), Martin Cox, irmão de Sean Cox, torcedor do Liverpool que foi agredido por um italiano do lado de fora do Anfield antes da partida contra a Roma, na semifinal da Champions League da temporada passada, criticou o Manchester City por uma música cantada na comemoração dos jogadores por conta do título da Premier League, conquistado no último domingo (12).

A informação é do jornal britânico The Guardian, e a música faz menção a torcedores do Liverpool chorando nas arquibancadas e agredidos nas ruas, além de ironizar o time adversário por não ter sido campeão nenhuma vez nos últimos anos, inclusive citando a final da Champions League contra o Real Madrid, em Kiev.

Para Martin Cox, a canção cantada pelos jogadores do Manchester City “insulta a todos os afetados pela violência no futebol”, incluindo o torcedor do City Paul Worth, que ficou em coma por conta de uma agressão sofrida na Alemanha, em fevereiro.

Ele também disse que sabe que a música não se refere especificamente ao seu irmão, mas sim a torcedores do Liverpool que foram atacados em Kiev, por hooligans locais.

Martin Cox estava com seu irmão Sean, antes da partida contra a Roma na semifinal da Champions League da temporada passada. Sean Cox foi agredido por um homem italiano e sofreu lesões graves na cabeça, inclusive chegando a passar algumas semanas em coma induzido.

De acordo com o jornal, um porta-voz do Manchester City disse que “a música em questão, que se tornou comum nesta temporada, se refere à final da Champions League, em Kiev. Qualquer sugestão de que a música faz referência a Sean Cox ou ao Desastre de Hillsborough (em 1989, quando 96 torcedores do Liverpool morreram pisoteados) é completamente sem fundamento”.

Para Martin Cox, o Manchester City se negar a condenar a música faz com que o caso seja ainda pior. “O comunicado do City está mais na defensiva do que se desculpando”, declarou ele. Martin ainda explicou a sua indignação. “O que aconteceu com o Sean virou nossas vidas de cabeça para baixo, e algo assim machuca”, concluiu.

Fonte: espn.com.br