ESPECIAL: em entrevista ao PB Agora, cientista alemão diz que vê com ceticismo descoberta de medicamento israelense para cura do câncer

0
332

O câncer é um dos grandes flagelos da nossa época. É a segunda principal causa de morte em todo o mundo, responsável por tirar a vida de quase 10 milhões de pessoas em todo mundo. Anda que a luta contra o câncer tenha alcançado excelentes avanços nos últimos 30 anos, com a taxa de sobrevida tendo dobrado, uma cura definitiva ainda está distante.

Recentemente pesquisadores israelenses anunciaram um medicamento que promete ser milagroso. A equipe de cientistas garantem ter descoberto a primeira “cura completa para o câncer” usando codificação genética de ponta para matar células doentes. As informações que causaram euforia e ceticismo entre a comunidade cientista, foram dadas por Dan Aridor, presidente do conselho da Acelerated Evolution Biotechnologies (AEBi), empresa que está desenvolvendo o tratamento em Israel.

O medicamento anticâncer, potencialmente revolucionário, é baseado em uma tecnologia que pertence ao grupo de tecnologias de exibição de fagos (fago, do grego fagoína significa “devorar”). Envolve a introdução do DNA codificador de uma proteína, como um anticorpo, em um bacteriófago – um vírus que infecta bactérias. Essa proteína é então exibida na superfície do fago. Só que o que poderia ser uma revolução para a humanidade no  mundo científico pode virar numa frustração.

O PB Agora foi em busca de um especialista para atestar a eficácia do medicamento e dá um alento a milhares de brasileiros acometidos com a doença. O biólogo alemão Mathias Welle,(44), vê com desconfiança a descoberta, mas não descarta a sua eficácia. Especialista em tratamento do câncer, o especialista que é Doutor em Genética pelo Instituto de Genética da Universidade de Colônia “Universität zu Koeln” (Alemanha) e atualmente atua no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), foi cauteloso, e disse que é preciso aguardar os resultados para poder emitir um parecer mais consistente.

Questionado se hoje com o avanço da medicina existem algum medicamento eficaz para a cura dessa doença, ele ressaltou que os tipos de câncer são muitos, e que cada caso, requer um medicamento específico.

“Em todas as descobertas, é preciso aguardar os resultados. São muitas doenças e cada uma precisa de outros medicamentos” observou.

O cientista lembrou que mesmo com a medicina avançada, há anos, os cientistas buscam a cura para o câncer, e muitos médicos prometeram curas, mas os efeitos concretos não corresponderam aos inventos laboratoriais. Por isso, ele se mantém cético. Mas esperançoso.

“Olha. Teve já tanta pessoa que prometeu a cura do câncer e não cumpriu a promessa que eu estou muito cético a respeito desta Ideia de uma cura geral. Como expliquei câncer é um conjunto de diferentes tipos de doenças”, destacou o doutor Mathias Welle.

Mathias Welle. explica que mesmo os diferentes tipos do câncer de mama possuem uma base molecular e celular diferente. Por causa disso o prognóstico e as terapias são diferentes. “Por causa disso a Ideia de uma única cura do de todos os tipos de câncer é extremamente improvável”, arrematou.

Severino Lopes

PB Agora