HOSPITAL AFASTA TÉCNICA DE ENFERMAGEM APONTADA COMO RESPONSÁVEL POR QUEIMADURAS EM BEBÊ

0
216
Bebê teve pés queimados durante banho em hospital na Paraíba, segundo a família — Foto: Roseane Batista/Arquivo pessoal

O Hospital Regional de Itabaiana afastou, nessa terça-feira (16), a técnica de enfermagem apontada como responsável pelas queimaduras nos pés de um bebê durante um banho. O caso chegou ao conhecimento da Polícia Civil nesta semana.

O hospital lamenta o incidente e informa que a técnica de enfermagem foi afastada desde ontem, 16 de Abril”, informou a instituição, através da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Saúde, em comunicado enviado ao ClickPB.

Segundo informou o pai da criança em depoimento à polícia, seu filho estava internado tratando problemas respiratórios. Na última segunda-feira (15), uma funcionária do hospital teria levado a criança para tomar banho.

No entanto, quando o bebê voltou, a mãe percebeu que ele estava com queimaduras na altura dos pés até os tornozelos.

Depois da constatação das queimaduras, o bebê foi transferido até o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa. Ele passou por tratamento das queimaduras e do problema respiratório.

O ClickPB tentou entrar em contato com o Hospital Regional de Itabaiana para saber sobre a situação, mas as ligações não foram atendidas. Às 13h59, a nota acima foi enviada ao ClickPB.

O delegado Felipe Castelar informou ao ClickPB que a lesão corporal culposa é condicionada á representação. Como o pai decidiu não representar criminalmente contra a funcionária, não será aberto um inquérito para investigar o caso.

O pai da criança informou à polícia que pretende acionar somente judicialmente na área cível.

Ele deu entrada no Hospital Regional de Itabaiana no dia 13 de abril para um tratamento respiratório. E o fato ocorreu por volta das 4h do dia 15, quando o pai foi chamado no hospital e informaram para ele que a criança estava com queimaduras nos pés. A mãe estava com a criança. Consta no boletim de ocorrência que ele não deseja representar criminalmente contra a pessoa. A família é de Mogeiro”, informou o delegado Felipe Castelar ao ClickPB.

ClickPB