Presidente da Câmara de Campina Grande silencia sobre ‘farra’ dos assessores parlamentares

0
156

O inquérito que apura a contratação de servidores comissionados na Câmara Municipal de Campina Grande para os cargos de assessor parlamentar esteve entre os assuntos mais debatidos nos bastidores da Casa, nesta terça-feira (27), mas a presidente, vereadora Ivonete Ludgério, preferiu não se pronunciar, antes de ser notificada pelo Ministério Público. A Câmara tem, atualmente, 260 assessores parlamentares comissionados.

O vereador Alexandre do Sindicato disse ao Portal ClickPB que a Mesa Diretora da Câmara Municipal é quem tem competência para se manifestar sobre o caso, por isso não emitiu opinião sobre a questão. “E como não foi notificado, até agora a gente não sabe o teor de nada”, justificou.

Alguns vereadores arriscaram comentar o assunto, como o vereador Pimentel Filho, que acha justo o número de assessores. “A lei diz que o vereador tem direito a indicar 12 assessores. Pronto. Está na lei, e tem os 12 assessores. Porque tem assessores que trabalham nos locais, não dá para estar em todos os locais no mesmo dia, ou nos 30 dias, ou atender a 5 mil eleitores nas comunidades”, disse, defendendo que os assessores dão suporte aos parlamentares.

O vereador Galego do Leite apoia a ‘farra’ de comissionados.Segundo ele, seu gabinete só tem seis assessores, porque só lhe foram oferecidos esses. “Mas se eu pudesse ter os 12 eu teria sem nenhum problema”, disse Galego.

As entrevistas foram concedidas ao sistema Arapuan de Comunicação, em Campina Grande.

Fonte: ClickPB créditos: Arapuan

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here