Ricardo Coutinho critica decreto de Bolsonaro que flexibiliza posse de armas: ‘Paranoia e balela’

0
967

O ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), criticou duramente nesta terça-feira (15), o decreto do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que flexibiliza a posse de armas no Brasil. A declaração dá sinais de que como será a atuação do socialista à frente da Presidência da Fundação João Mangabeira, cargo que ele assumirá amanhã em Brasília.

À reportagem do programa Arapuan Verdade, o ex-governador chamou de ‘paranoia’ o texto assinado por Bolsonaro. “Essa questão da segurança, essa paranoia de achar de que se vai combater violência com mais violência, liberando o porte de armas, liberando revólver, isso é uma balela’, criticou.

O ex-governador afirmou que o modelo de gestão implantado por ele reduziu, nas palavras dele, o índice de violência na Paraíba. “A experiência da Paraíba demostra exatamente o contrário. Nós somos o único estado no Brasil a reduzir o índice de homicídios durante 7 anos seguidos, nós temos a maior redução desta década em todo Brasil”, defendeu.

Ricardo disse que o combate a violência se faz retirando armas de circulação, e não flexibilizando a posse de armas para a população, e colocou a Paraíba como exemplo. ‘Portanto é indiscutivelmente uma política que avançou. Avançou retirando armas da população, avançou com territorialização, avançou com técnica, com ciência, com investimento, e não com bravata, com balela’, pontuou.

Ricardo Coutinho assumirá amanhã, ás 10h, em Brasília, a Presidência da Fundação João Mangabeira, uma entidade nacional de cunha social ligado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB). A principal missão da entidade é fomentar políticas públicas e a realização de debates e discussões políticas dentro e fora do partido.


Fonte: Polêmica Paraíba

Créditos: Polêmica Paraíba